O novo normal e as novas essencialidades

 

Desde março de 2020, novos termos se inseriram ao nosso vocabulário. Junto com esses termos surgiram novas preocupações, comportamentos e demandas.

O termo novo normal, que de normal não tem absolutamente nada, refere-se ao novo comportamento social e de consumo, que dividiu o mundo em essencial e não essencial.

O coronavírus chegou entre nós com a função de nos ensinar a viver diferente. Nos isolamos, assustados, paralisados e ansiosos.

Mas como somos “capitães de nossos destinos e senhores de nossas almas”, não cedemos, lembramos que a globalização pode existir presencialmente ou não, afinal a internet já existe. Sendo assim, a casa familiar passou a acumular funções e trabalhar em jornada integral: além de lar, passou a ser escritório, escola, cinema e casa de eventos.

Passamos a dar atenção a quem estava em casa, nos especializamos em convivência, ou optamos por não conviver mais (afinal muitos casais romperam), sem antes exercitar a arte do ceder, ressignificar, aprender e recomeçar. Os restaurantes, os mercados, as lojas e os shopping deram lugar a infinitos aplicativos de venda e delivery.

E de pequemos que ficamos frente ao mundo, nos agigantamos em casa. Tudo ganhou proporções enormes. Os maus hábitos dos vizinhos barulhentos, a rotina do barulho das motos, que se reproduziram em centenas de milhares circulando, a necessidade de dormir bem, de se concentrar para trabalhar, estudar, ensinar os filhos e viver o entretenimento das redes de streaming, fez com que o mercado de acústica tivesse um crescimento exponencial.

Soluções como revestimentos e janelas acústicas, que antes eram considerados supérfluos, emplacaram no novo normal como produtos de extrema necessidade. O crescimento da demanda tornou o produto mais acessível, e hoje temos soluções adequadas a casa situação. Acredite, o novo normal tornou essencial as janelas acústicas e você também merece ter uma.